www.elianeaccioly.net

VIDA SE FAZ POR CONTÁGIO

Textos

O que quer? Do precisa uma mulher?
O que quer? Do precisa uma mulher? De Eliane Accioly
O que quer? Do precisa uma mulher?
De Eliane Accioly

Capítulo 1:

Duas coisas no homem cativam Tereza: aquele olhar mortiço de Capitú em versão masculina. E a disponibilidade : “Por você tudo.” Ou, “Sou todo ouvidos. ” Mesmo que nunca seja verdade. E não é, não mesmo, mas também não é faz de conta. É e não é sendo. Para ir além, para Capitú... ops..., quer dizer para Tereza não basta ser homem. Por exemplo, o olhar de Capitú masculino não poderia ser o do marido, por mais querido que o marido seja. Marido nunca teria um olhar mortiço, não poderia. Um marido precisa prender a escuta e a conversa, convencer a mulher que é melhor com ele que sem ele. Marido é segurança ao alcance das patas. Possessivo e dono do pedaço. Tudo que uma mulher não quereria ser para um homem, possessiva, bovina.
No caso de Tereza ela certamente elege Capitú, tanto para a mulher que queria ser, quanto para o homem que gostaria de ter. Ou pelo menos conhecer. Caso de Tereza, inda que sabendo que além da Capitú de Machado, impossível outra. Tentar travessias, entretanto, a gente arrisca.

Capítulo 2:

Tereza encontra Ricardo . Ou foi encontrada por Ricardo, durante uma crise de queda de potássio, um surto!
Pelo sobrenome dele ela pergunta :
- Você é árabe
- Não
- Italiano
- Não
- Judeu
-Não
- Então, o que?
- Húngaro
- Nossa!
Dois dias depois eles partem para a Romênia, onde vivem tórrida paixão. Desmentindo ou confirmando o surto de Tereza, até hoje ninguém pode dizer. Voltam em festa. Cama sempre desarrumada, não importa se na casa dele, se na dela. Mesa em festa, que Ricardo tem paixão pela cozinha. Meses depois, arrasados. Uma devasta. Possuidor de olhar capituneano Ricardo procura proteger Tereza, que ama como jamai antes amou ninguém :
- Vem me encontrar, Tereza, suplica Ricardo
- Não
- Vou te encontrar
- Não
- Vamos comer a feijoada que gostamos, na quarta?
- Sim
- E fazer tai chi no Trianon na quinta?
- Sim
Em alegrias antecipatórias Ricardo esfrega as mãos :

- Por Deus, será que nos reencontramos nos (des) caminhos? Será a volta da pigmaleoa à minha vida que sem ela graça não tem?
E volta a desejar aquela mulher que de bovina nada possuia, a não ser talvez, os grandes olhos de vaca castanho-dourados.
Eliane Accioly
Enviado por Eliane Accioly em 08/02/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras